· · ·

Jornalismo Cultural

Além dos lugares sagrados, Israel tem muito mais...

israel asaphJerusalém, antiga e nova capital de Israel. Foto de Asaph BorbaPara quem chega pela primeira vez em Israel, a expectativa é de ver os locais tradicionalmente visitados pelos peregrinos, aonde a história registrada na Bíblia ganha vida, principalmente para judeus e cristãos, que podem acompanhar com exatidão os locais narrados nos textos sagrados. Com um território de 22 mil km quadrados, e uma população de 7,6 milhões de habitantes, formada por judeus, palestinos, e as minorias druza e armênia, o país cresce rapidamente. Apesar do pequeno espaço, que é plenamente compensado pela história milenar da região, por onde transitaram 25 diferentes civilizações, a Terra Santa tem muito mais a oferecer.

Turismo

Uma das principais fontes de recursos israelenses é o turismo, que atrai anualmente cerca de três milhões de pessoas, gerando empregos e impulsionando a economia. Para isso, a infra-estrutura foi bem preparada. Israel conta hoje com uma malha de estradas que liga rapidamente os principais pontos turísticos. Conta também com uma rede hoteleira, que consegue alojar confortavelmente o crescente contingente que visita a região durante todas as estações do ano.

Porém, a estrutura turística de Israel não limita- se aos itens já citados, mas estende-se também a setores como segurança, que é prioridade no país, o transporte e a formação de guias especializados, todos multilíngues e com curso superior na área, podendo assim atender a crescente demanda.

O Ministério do Turismo investe em uma propaganda global eficiente, sobrepondo assim a imagem negativa gerada pelos conflitos internos divulgados pela mídia internacional, isto minimiza o prejuízo do setor, que ainda tem muito potencial para crescer.

Para o especialista em turismo que também trabalha como guia, Uri Tal, este potencial é grande e ainda está longe de se esgotar. Uri afirma que com cinco mil anos de história e com as constantes descobertas arqueológicas, cada dia surgem novas atrações. "Para que haja crescimento, todos os setores tem que trabalhar em conjunto, pois sempre que algo novo é descoberto, toda infra-estrutura tem que ser feita para receber devidamente as pessoas que visitarão aquele local", afirma. O guia explana que todo o turismo em Israel tem como base os pilares da história, tradição e fé; pois na região desenvolveram-se alem de várias povos, as religiões judaica, cristã e muçulmana, que fazem da Terra Santa, lugar de peregrinação.

Tecnologia

O estado Judeu destaca-se em outras áreas. A principal receita do país é decorrente da indústria bélica, que fabrica desde armas leves, a tanques e aviões supersônicos, fruto de constante investimento em pesquisa e tecnologia, cujo setor, é a segunda fonte em volume de receita para a balança comercial, que entra no pais de forma crescente através de patentes de softwares desenvolvidos para as principais empresas de computação do mundo, nas mais diversas áreas.

Agricultura

Israel impressiona também, pela eficiência de sua agricultura. Apesar do clima desértico e baixo índice pluviométrico, a nação é um importante exportador de ortifrutigrangeiros para o mercado Europeu, além dos produtos tradicionais da região, como azeite de oliva, vinho, e as tradicionais flores.

Com uma tecnologia avançada e mão de obra especializada, os kibutzis, nome dado às pequenas fazendas agrícolas, são responsáveis pela eficiência dessa importante área de produção.

Gastronomia

Para alguns, a comida da região, é diferente. Mas em pouco tempo acostuma-se, pois é rica em sabores que misturam a riqueza gastronômica do oriente e ocidente, com os temperos das culturas judaicas e árabes que habitam a região. Ingredientes como o grão de bico, o pão sírio e o azeite sempre acompanhados de uma saborosa salada, são constantes alem das carnes de ovelha, peixe ou galinha. Nas principais cidades os turistas encontram lugares que servem também um hamburguer ou um cachorro quente.

Desafios

Porém, Israel tem muitos desafios pela frente. Além do entrave político com a causa Palestina, que gera antipatia internacional e afeta o turismo, têm também as disputas crônicas com os vizinhos, Síria e Líbano que influenciam negativamente a economia em geral. Outro problema é a dependência da importação de matéria primas e comodities como o petróleo e grãos, assim como todo tipo de metais para a industria bélica e construção civil, setores que impulsionam o crescimento, mas que geram entretanto um constante aumento da dívida externa.Apesar de tudo, a terra continua sendo linda para a multidão de turistas que chega diariamente, para uma simples e mística peregrinação na antiga Palestina, atual Israel ou simplesmente, Terra Santa.

Fontes: www.worldfactbook.com (Israel) www.goisrael.com
Entrevista com Uri Tal Visita e pesquisa no local

* Asaph Borba esteve em Israel durante sua viagem a trabalho no mês de Outubro de 2010, quando realizou esta reportagem para os sites, Adorar.net e Universo IPA e para a cadeira de Jornalismo Especializado do Centro Universitário Metodista.

· · ·