· · ·

Jornalismo Ambiental

Alface hidropônico, você conhece?

002Agricultor produz duas espécies de alface, a crespa e a lisa. Foto de Márcia Lacerda

Com toda certeza, ao comprar os ingredientes de uma salada para acompanhar uma refeição, você irá se preocupar em adquirir um vegetal com boa aparência seja ele: alface, brócolis ou couve. Algumas pessoas, na busca de alimentos mais saudáveis, têm o costume de comprar vegetais orgânicos, entretanto, há outra opção que poucos conhecem: os produtos hidropônicos.

A hidroponia é uma técnica de cultivo diferente da tradicional, ainda pouco difundida no meio agrícola. Nela, o plantio não é realizado na lavoura, mas em uma estrutura de canos, por onde a água circula durante todo o tempo, alimentando a planta. A técnica apresenta várias vantagens, como por exemplo, um baixo consumo de água, pois a mesma é reaproveitada, uma melhor produtividade, maior qualidade do produto, mão de obra reduzida e a quase inexistência de agrotóxicos.

Apesar de os vegetais em hidroponia não poderem ser considerados orgânicos, pois ainda necessitam da utilização de soluções para o crescimento e o controle do potencial hidrogeniônico (PH), eles podem ser definidos como mais limpos e puros do que aqueles cultivados na lavoura.

No município de Gravataí, Região Metropolitana de Porto Alegre, impressiona o trabalho do produtor rural Júnior Culau. Há apenas 5 km da ERS 118, uma das rodovias mais movimentadas do estado, o agricultor e a esposa, Eva da Silva Santos, mantém uma estufa com mais de 3500 pés de alface hidropônico, das espécies crespa e mimosa roxa.

Durante o processo de cultivo do alface hidropônico, que leva no máximo 30 dias para ficar pronto, a partir do momento em que é plantado, Culau realiza o controle da quantidade de nutrientes e salinidade, além da constante análise microbiológica, garantindo a pureza da água que serve como alimento aos vegetais.

Questionado sobre a justificativa da utilização da hidroponia, como método de produção, o agricultor responde que se preocupa em destacar o cuidado com as riquezas naturais. "No plantio em que a raiz está dentro do cano com água, não temos tanto desperdício da mesma, e nem o esgotamento do solo, o que acaba ocorrendo na lavoura". Para ele, além das vantagens, existe ainda a questão de preservação do meio ambiente.

Mesmo com a quantidade de nutrientes necessária para o cultivo do alface, Culau garante utilizar cada vez menos inseticidas, pois como o plantio é realizado em estufas, é pequeno o número de fungos, larvas e insetos que atacam as plantas.

Além da estufa de alface, Culau tem em sua propriedade, algumas outras frutas e verduras. Como não costuma contratar outros trabalhadores, o agricultor e sua esposa ainda plantam couve, couve flor, repolho, rúcula, espinafre, tempero verde, bergamota, limão e aipim. Como todas tem alto índice e necessidade de manutenção, Culau tem trocado estas culturas, pelas de menor mão de obra. No trabalho com alface hidropônico, é possível se obter melhores resultados, de forma mais prática e rápida.

A prova de que a hidroponia tem feito sucesso, é a facilidade que Culau tem de comercializar seus produtos. Com a grande procura, ele garante que sua produção é 100% vendida, e não há necessidade de negociar preço. "O cliente que experimenta, conhece a maciez e o sabor deste vegetal, além do aproveitamento, pois as folhas não estragam. Então, não costuma se preocupar com o preço", explica Culau, ao contar porque seus produtos são vendidos religiosamente para os mesmos clientes nos municípios de Porto Alegre e Região Metropolitana.

Em seu próprio município, o agricultor ainda não comercializa os produtos hidropônicos. Em uma parceria com a Secretaria de Agricultura e Abastecimento de Gravataí, ele é um dos fornecedores do Programa de Aquisição de Alimentos da Agricultura Familiar (PAA), realizado pelo governo federal e o municipal. Atualmente, Culau fornece produtos tradicionais para o PAA, mas segundo planos do mesmo, para o próximo ano, ele pretende comercializar os vegetais para a merenda escolar das escolas municipais.

Diferente de alimentos plantados da forma mais comum, na terra, os produzidos em hidroponia não estão tão sujeitos à geadas e intervenções causadas pelo clima. Em um estado como o Rio Grande do Sul, com significativas variações de temperatura , sendo intensos tanto o frio quanto o calor, o cultivo em estufa apresenta ainda a importante vantagem de manter o mesmo tamanho e qualidade durante as quatro estações do ano.

Conheça os produtos hidropônicos, pois com toda certeza, além dos benefícios à sua saúde, você terá certeza de consumir um vegetal com ótimo sabor e saberá que está contribuindo para a preservação de recursos hídricos e naturais do meio ambiente.

· · ·