· · ·

Jornalismo Ambiental

Um caso de miopia comunitária

{vimeo}4273273{/vimeo}

Uma das vantagens na globalização é que o problema de um é de todo o mundo. Já não ignorarmos que uma alteração ambiental em um hemisfério afeta o outro hemisfério. Em tempo real nos envolvemos com o que acontece à fauna e à flora em todo a Terra. Temos mesmo de ficar de olho nela que, afinal, é a nossa casa.

Mas esse ficar de olho é um outro problema. Tanto ampliamos o olhar que não enxergando o que está à nossa volta. É o caso dos problemas ambientais da cidade: agressões à natureza, escavações irregulares nos morros, construções em áreas preservadas, poluição do Guaíba e do manancial de arroios que percorre a capital.

Quem já parou para refletir sobre a situação dos nossos arroios, que aqui se encontravam talvez milhares de anos antes dos 60 casais açorianos, que têm vertentes e tinham a função de irrigar as matas ciliares, campinas e banhados das terras onde germinou a cidade e hoje são desonrosamente apelidados “valões”? Nossos arroios transportavam minerais, plantas e animais aquáticos que se juntavam ao bioma do Guaíba e do Gravataí. Hoje carregam o lixo que vem das casas, dos hospitais e fábricas, que trancam em algum ponto do curso, causando transbordamento em dias de chuva.

Nossos arroios já tiveram águas inodoras, incolores e insípidas (a síntese da água pura que aprendemos na escola), hoje se arrastam doentes, sujos, fétidos, feios. E a única explicação é a falta de educação e de cultura da população – e sem isentar ninguém, porque há casos de arroios que não passam por hospitais e nem fábricas, mas chegam ao estuário como a mais degradante cloaca.

Não creio em melhoria global se não houver conscientização local, se não encararmos a questão ambiental a partir do nosso pátio, da nossa rua, do nosso bairro. Os arroios não são o único problema, mas são simbólicos – sinais de uma miopia comunitária, que enxerga longe, mas tropeça nos próprios pés. Quem sabe esse assunto rende boa pauta para as discussões do Plano Diretor de Desenvolvimento Urbano e Ambiental (PDDUA), que prevê a proteção ao meio ambiente?

Matéria produzida na disciplina de Jornalismo Ambiental, profª responsável: Lisete Ghiggi. Publicado no Jornal do Comércio, em 1º de julho de 2009

· · ·