· · ·

Jornalismo Investigativo

O jornalismo investigativo de Giovani Grizotti

giovani grizzotiGiovani Grizotti: o maior repórter investigativo do Estado não revela seu rosto. Foto: Lucas UebelO Centro Universitário Metodista, do IPA, promove nesta quarta-feira, 1° de setembro, uma palestra sobre Jornalismo investigativo para os estudantes de Comunicação da instituição. O encontro terá a presença do repórter da RBSTV Giovani Grizotti, que falará sobre suas experiências e desafios na profissão. O evento acontece às 19h, no auditório do Campus Dona Leonor (rua Dona Leonor, 340 – Bairro Rio Branco).

Segundo a organizadora da palestra, professora Luciana Kraemer, o evento tem o objetivo de levar informações de um profissional, que é referência em Jornalismo investigativo, para os estudantes do IPA. A palestra é aberta aos alunos de comunicação da instituição, tem entrada franca e não é necessário fazer inscrição.

Confira o registro da cobertura online

 

A história de Giovani Grizotti, um repórter movido a sonhos

por Emanuel Mattos (12/02/2009)

grizotti pressA revista Press, da Editora Press & Advertising, traz em sua edição 118, uma reportagem sensacional com Giovani Grizotti. Toda a vez que esse destemido repórter surge com uma denúncia, na Rádio Gaúcha, os poderosos de plantão ou ladrões do dinheiro público tremem nas bases. Não é para menos. Grizotti é um profissional que serve de modelo para quem pratica um jornalismo sério.

Quando comecei a ler a primeira das oito páginas da reportagem, conduzida por Julio Ribeiro e Marco Antonio Schuster, não consegui parar até a última linha.

Fiquei fascinado com a história do repórter investigativo mais famoso do Estado, que na juventude vendia milho na praia, em Capão Novo, ajudava os irmãos a fazer concreto, pintar casas, janelas e portas, entregava malotes do Correio, passava sinteko nos assoalhos. Comia pó e aspirava o cheiro forte. Era preciso:

"O pai tinha problemas de alcoolismo, a gente enfrentava muitos problemas naquela época, e ele meio que abandonou a profissão". Coube aos filhos garantir a manutenção da casa", conta. Mas nunca desistiu de seus sonhos.

Movido por eles, Grizotti detalha como foi a luta para conquistar cada espaço, que iniciou nos pequenos jornais de Capão, as primeiras investidas em rádios locais, até tornar-se o mais respeitado repórter da Rádio Gaúcha na atualidade:

- Hoje eu não sei qual seria meu próximo sonho, mas naquela época eu trabalhava muito a palavra sonho – conta. Estava no Jornal de Capão, queria ir para o Mar e Serra. Aquilo era um sonho. Estava no Mar e Serra e queria ir para a para a Rádio Horizonte, aquilo era um sonho. Da Rádio Horizonte eu queria ir para a Rádio Gaúcha, aquilo era um sonho. Era uma questão simbólica.

Não entro nos detalhes da riquíssima história de Grizotti, em que ele revela como conquistou cada espaço, tijolinho por tijolinho, com uma garra rara de se ver. Mas quem quer saber, em detalhes, como ele realizou cada uma das reportagens que provocaram tanta repercussão, vá até a banca mais próxima e adquira a Revista Press. Creiam-me: vale cada centavo dos R$ 7,90 investidos.

Ele confessa que atualmente tem na mira os deputados: "A imprensa nunca questionou a Assembléia" – título de capa e da abertura de sua entrevista. Modestamente, creio que há pautas bem mais urgentes e que interessam à população indefesa. Como a quadrilha impune em hospitais de Porto Alegre, que maltrata doentes – há dezenas de queixas a respeito de pacientes que morrem em leitos como consequência das agressões – quando deveriam ser salvos, mas os veículos não tocam no assunto. Somente Paulo Sant'Anna tem sido porta-voz em suas colunas. Tamanha violência precisa ser denunciada, até para que a população saiba quem está por trás dessa inominável brutalidade.

Bem que Grizotti poderia investigar tais crimes hediondos e tornar público o massacre aos pobres doentes. Aí sim terá realizado o sonho, não apenas dele, mas de tanta gente impotente frente ao bando que age impune em hospitais.

Coragem, ao menos – por tudo o que li nessa bela entrevista – não lhe falta.

· · ·