· · ·

Dia do Consumidor – bom para comprar ou refletir?

89765406 541354379822869 531479864755093504 nFoto: Getty Imagens

Liquidações, oferta especial, frete grátis. Neste domingo (15), é celebrado o Dia Mundial do Consumidor. Talvez, estas são palavras que vem à mente da maioria das pessoas quando questionadas sobre a data. Isto porque grandes marcas e empresas se utilizam da ocasião como uma oportunidade para vender seus produtos e serviços com melhor preço e condições. Mas na verdade, o 15 de março representa a consolidação dos direitos do consumidor e a promoção de um relacionamento amigável entre vendedor e comprador, além de ser um momento para a reflexão sobre um consumo mais consciente. 

A data foi inspirada por um discurso do presidente norte-americano John F. Kennedy, feito em 1962 no qual ele enfatizava a importância do consumidor para o mercado. Para o diretor da agência de publicidade Closer e docente do curso de Publicidade e Propaganda, Prof. Me. Marcelo Corrêa, o dia em questão, pela ótica acadêmica, é importante mundialmente, pois reforça a criação das Leis e Direitos dos Consumidores. “Na lógica mercadológica, é aproveitada pelo varejo para impulsionar as vendas e incitar aumento do consumo”. No Brasil, existem leis que visam a defesa da categoria. O Prof. Me. Carlos Antonio Arnt, que também ministra aulas no curso de Publicidade e Propaganda, salienta que a data auxilia na compreensão de que qualquer relação comercial tem duas vias e que “deve haver troca de valores entre as duas partes. Junto a isto, reforça o cumprimento e conscientização dos direitos do consumidor”.

Estudos mostram que é importante que o consumidor tenha consciência do que adquire enquanto produtos e serviços. Assim, o 15 de março contribui com a reflexão sobre o consumo consciente. Segundo Luciana Mutti de Morais, diretora da empresa de pesquisa de mercado Vitamina Pesquisa, a crise econômica elevou tanto as marcas quanto o público a outro patamar de consciência no momento das compras. “Assim, hábitos como reutilizar, consertar, comprar produtos já usados, não param de crescer”. Porém, de acordo como Prof. Marcelo, ainda há consumidores menos conscientes na hora das compras, especialmente de bens materiais. Todavia, reforça que “por questões de economia, muitos clientes estão mais atentos ao que compram”. 

Não se pode negar que o consumo consciente está em alta nos dias atuais. Em um mundo que se moderniza cada vez mais, está virando regra saber quais os valores estão relacionados aos produto adquiridos. Tem se tornado uma necessidade saber se a empresa está envolvida em escândalos ambientais, éticos e morais, além de se preocupar com as futuras gerações. Porém, Luciana afirma que as grandes empresas não se engajam na realidade do consumo consciente, parecendo se comportar da mesma forma de sempre. “Muitas das grandes marcas ainda apostam na ampliação do dia do consumidor para a semana do consumidor, ofertando promoções e disparando um senso de urgência nos consumidores”. O Prof. Carlos Arnt explica que essa prática é comum, visto que o próprio dia 15 de março é usado pelo mercado para alavancar o consumo, mas, pondera que esta não pode ser descartada. “É uma oportunidade tradicional no mercado e que reforça as vendas, e por isto mesmo deve ser aproveitada”. 

A diretora da Vitamina, lembra que os clientes devem ficar mais atentos aos preços e “ao discurso da venda” dessas liquidações. “Felizmente, os clientes exigem cada vez mais a verdade e a transparência. Se o varejo souber usar esse momento, ganham os dois lados. E, se isso acontecer, podemos ter um Dia do Consumidor celebrando o que realmente importa: uma relação saudável entre varejo e consumidor, com os direitos de ambos reservados”.

Postar comentário

0
  • Nenhum comentário encontrado

· · ·