· · ·

Coronavírus: professores adaptam as aulas para debater o tema

WhatsApp Image 2020 03 31 at 20.35.59Foto: Arquivo Pessoal

Coronavírus. Essa é a palavra que está em todos os lugares, ultimamente. Nos jornais, na televisão, nas redes sociais, nas mensagens do Whatsapp, nas conversas em família e, na sala de aula. Neste momento, é inevitável falar desse assunto, que tem feito parte do cotidiano de todo mundo. Os professores dos cursos de Comunicação e Turismo, adaptaram os conteúdos e passaram a incluir o tema nas disciplinas e nas discussões com os alunos durante as aulas online.

A coordenadora dos cursos de Jornalismo, de Publicidade e Propaganda e de Turismo, Profa. Dra. Valéria Deluca, lembra que nas primeiras reuniões, após o início do isolamento, a escolha por tratar de temas ligados à pandemia se tornou óbvia. “É da natureza dos nossos cursos observar o mercado e o mundo que está à nossa volta e tratar disso em sala de aula. Relacionar teoria e prática é a base dos nossos fazeres. Seria praticamente impossível, desconsiderarmos o que está ao nosso redor. O resultado tem sido sensacional”, avaliou. Ela conta que na disciplina de Laboratório de Comunicação Integrada, ministrada por ela, os estudantes realizaram análises sobre como grandes marcas estão conversando com seus públicos de interesse. “A comunicação institucional foi um dos primeiros movimentos das organizações neste novo contexto de interação com o consumidor”. 

A docente do curso de Jornalismo, Profa. Dra. Sandra Bitencourt, entende que, diante da relevância, é impensável não levar a questão da pandemia para as aulas. “Nunca na história comunicacional da humanidade, um assunto envolveu o mundo inteiro, em tempo real. Ou seja, a agenda predominante de todos os assuntos, conversas e coberturas no planeta é o Covid 19”, afirma. Nas disciplinas ministradas por ela, a pandemia tem sido objeto de trabalhos e projetos dos alunos. Em Jornalismo guiado por dados, as três reportagens investigativas vão abordar o tema, com diferentes recortes de investigação, apuração e aprofundamento. “Com as hipóteses constituídas para investigação a partir de fontes abertas, especialistas e testemunhais, vamos olhar para o histórico e performance dos recursos públicos para um sistema de saúde (in)suficiente aqui no RS. Vamos investigar as repercussões do possível colapso em outras áreas da saúde, como o necessário estoque dos bancos de sangue e até mesmo compreender qual o tipo de busca por conhecimento desse assunto que é empreendida nas redes”, relata. Na disciplina de Hipermídia, segundo Sandra, um dos trabalhos produzidos é o mapeamento de exemplos, ferramentas e linguagens que permitem o acompanhamento instantâneo do Coronavírus no mundo.

WhatsApp Image 2020 04 01 at 20.02.44Foto: Arquivo Pessoal

A disciplina de Jornalismo Científico, do Prof. Dr. Fabio Berti, também proporciona debates sobre o coronavírus. Conforme o professor, as aulas têm a participação de especialistas de diversas áreas. “O jornalismo determina que os fatos atuais e urgentes estejam sempre em destaque. Em Jornalismo Científico, que trata da relação entre a comunicação e a ciência, estamos provocando debates atualíssimos. Já recebemos pesquisadores da área da Saúde e das Ciências Sociais, além de jornalistas especializados, a fim de avaliar o trabalho da imprensa de esclarecimento da sociedade, o que é fundamental para preservar vidas”, destaca. 

O Prof. Me. Leo Nuñez também inseriu a temática nos projetos desenvolvidos no semestre. Em Projeto Integrador V – Documentário, do curso de Jornalismo, os alunos vão produzir dois documentários. “Um grupo vai trabalhar com cases de pessoas que tiveram a doença e se recuperaram, e com pessoas que perderam familiares ou conhecidos por causa da doença. O outro grupo vai tratar da questão do isolamento social. Como as pessoas enfrentaram, como fizeram e o que sentiram”, explica. Em Produção em Áudio, do curso de Publicidade e Propaganda, serão três trabalhos. “Trabalhamos com spots e jingles para campanhas publicitárias. Um deles vai ser sobre o tema”. Segundo o professor, a participação dos alunos tem sido intensa. “Nas aulas em vídeo eles são pontuais, participam, fazem perguntas e tiram dúvidas. As aulas estão sendo produtivas”, garante.

WhatsApp Image 2020 03 31 at 20.57.12Foto: Arquivo Pessoal

A Profa. Me. Maristela Franco, que atua nos cursos de Jornalismo e de Publicidade e Propaganda,  trabalha o tema coronavírus nas disciplinas ligadas a planejamento e marketing, para que os acadêmicos criem cenários e tendências. “Tenho feito os alunos entenderem a importância do macroambiente natural, dentro do ambiente de marketing. A importância do cenário externo, o reflexo e o impacto na relação das empresas com os consumidores. Nunca ficou tão fácil fazer os alunos entenderem o quanto um evento natural pode ser determinante na saúde financeira de uma organização”, revela.  Por sua vez, a Profa. Me. Maria Lúcia Patta Melão aborda a questão conforme tem oportunidade, com trabalhos e projetos. “Na disciplina de Educomunicação foi solicitado que seja feito um projeto que mostre para os alunos, por meio de técnicas, o que é o coronavírus, como combater, etc. Em outra disciplina, Ética e Legislação Publicitária, foi trabalhada a peça do governo federal, que depois foi tirada do ar, chamada ‘O Brasil não pode Parar’”, explica. 

No curso de Turismo, o assunto também tem feito parte do conteúdo das aulas. Segundo a Profa. Me. Elenara Viera, em todas as disciplinas, há algo para comentar ou trabalhar. “Não tem como fugir do assunto. Estou com a disciplina de Economia no Turismo e tenho passado estudos de caso para tentar solucionar problemas como esse. Eu também fiz um estudo de caso trabalhando as considerações da Organização Mundial do Turismo (OMT) e o que os alunos fariam nas empresas onde trabalham. A gente vai ver o resultado mais adiante”. A docente trabalha ainda com Teoria da Administração, Gestão Empresarial e Hospedagem, em que também desenvolve questões sobre o assunto. 

A Profa. Me. Aline Moares ministra disciplinas de Ecoturismo, Geografia, Ética, Legislação e Comunicação. Em todas, mostra exemplos locais e mundiais, para reflexão e correlação entre a teoria e a prática. Para Aline, as atividades online auxiliam nesse momento em que é preciso ficar em casa. “O isolamento para quem está acostumado a trabalhar com viagens e também para aqueles que ainda não trabalham, mas estão vendo o setor de atuação profissional que escolheram ser desmantelado em todo o mundo, tem efeitos muito negativos. Creio que as atividades e aulas online têm colaborado para a compreensão do momento e entendimento do papel de cada um no processo de reconstrução, que teremos pela frente. Turismólogos, seremos mais necessários do que nunca!”, avalia 

WhatsApp Image 2020 03 31 at 20.23.30Foto: Arquivo Pessoal

E para dar apoio e atenção aos estudantes, o Prof. Me. Marcelo Correa não costuma discutir a questão do coronavírus durante as aulas. Ele prefere distrair os alunos desse assunto. “Sempre começo questionando como eles têm passado, falo coisas engraçadas para diverti-los, escuto os desabafos da quarentena... Depois toco o conteúdo e os exercícios, como se fosse no presencial. A participação deles tem sido ótima, entram no horário, tiram dúvidas. Bem legal!”, salienta.

A Profa. Fernanda Costa da Silva, do Turismo, também acredita que o momento da aula é uma forma de aliviar o estresse causado pela pandemia e isolamento social. Mas, destaca que é preciso abordar o tema e preparar os estudantes para o mercado. “É necessário estabelecer momentos de descontração, de algumas falas pessoais, bem como de abordagens variadas sobre temas das disciplinas. Mas, obviamente, é necessário preparar os futuros profissionais para o mercado através de informações atualizadas. Em alguns momentos, faz-se oportuno indicar reflexão sobre o cenário de pandemia e do Turismo, em especial no que se refere à Economia e à Ética, áreas que já trazem bons exemplos de discussão”, esclarece. Além disso, Fernanda elaborou meios de auxiliar os alunos durante a época de distanciamento social. “Criei dois canais de podcasts, formato que ainda não utilizava em aula. Um deles foi pensado especialmente para os orientandos de TCC e outro para estudantes e profissionais em geral, a partir da abordagem de temas diversos do setor”, revela. Ela afirma que, assim, os acadêmicos recebem informação segura, de uma maneira leve, descontraída e acessível, para que consultem quando tiverem disponibilidade.

Postar comentário

0
  • Nenhum comentário encontrado

· · ·