· · ·

Por onde anda?

Fernando Cunha: conhecimento para conquistar o mercado

fecunha metroFoto: Arquivo pessoalJornalista dos pioneiros ipaenses, Fernando Cunha – o Fê Cunha – pode se considerar um profissional polivalente. Formado em 2009, carrega no currículo passagens por grandes empresas, como Metroplan e Consórcio Nova Via, além de experiências em jornais, revistas e uma série de trabalhos freelance. Da faculdade, lembra carinhosamente do contato próximo com os professores e valoriza os conhecimentos adquiridos.

Os semestres do curso de Jornalismo são divididos por tipos de mídia. No primeiro e no segundo, o foco é nos impressos. No terceiro, as cadeiras de rádio compõe o currículo. E assim segue. Fernando destaca que essa linha pedagógica lhe ajudou consideravelmente. A experiência prática de estar na rua fazendo matérias, prospectando pautas... “Fui aprendendo e me tornando um profissional mais capaz”, relata.

Outro importante aspecto do curso para a carreira de Fernando foi a gestão da comunicação. Isso, ele explica, se traduz no Trabalho de Conclusão de Curso, em que um grupo de alunos deve se reunir para criar os alicerces teóricos e práticos de uma empresa. Nesse sentido, valoriza o peso da bagagem adquirida no IPA. “No mercado, tive de gerir toda a parte de comunicação, tive de gerir pessoas. Esse norte da faculdade foi fundamental”, avalia.

Fernando considera atraente o segmento da comunicação corporativa. A fim de se manter atualizado face às novas tendências, realizou diversos cursos, algo que pesou na escolha dos empregadores. Sua primeira experiência profissional – um estágio – foi atuando na área, assim como seu primeiro trabalho conquistado após a faculdade. Entretanto, destaca o baixo número de vagas disponíveis a gestores da comunicação.

Hoje ele trabalha na ‘Web Global’, empresa voltada para o e-commerce. Seu principal eixo de atuação é a produção de conteúdo. E aí, dá a dica, está um potencial segmento para jornalistas. “Há relevância em conteúdos online. Todo mundo quer estar nas primeiras colocações do Google”. Apesar da concorrência de profissionais não formados em comunicação, ele assegura que o mercado premia a qualidade. Os melhores, portanto, vão ter espaço.

Atualmente, escreve para duas revistas: a edição brasileira da ‘Business review’, voltada para o mundo dos negócios, e a revista ‘Nova Família’, cujo assunto é comportamento, educação, cotidiano, etc. São atividades que ele desempenha fora da ‘Web Global’. Nesse sentido, Fernando é um ser irrequieto. Desde a faculdade, sempre procurou não se contentar apenas com estágios e empregos. Realizou, e permanece realizando, paralelamente, uma série de outros trabalhos.

Nas horas vagas, ele gosta de pegar o carro e viajar, especialmente os passeios que faz para a Serra Gaúcha. Curioso, está em permanente estado de leitura, apreciando saber o que está acontecendo na volta. Fernando se inspira em um jornalista – e também guitarrista – que mantém o blog ‘Palavra de Homem’, no R7. Trata-se de Felipe Machado, da banda Viper. “Ele tem quatro livros, além do blog. Eu gosto de ler. Ele anda por tudo, desde política até a cultura”, analisa.

fecunhaFoto: Arquivo pessoalFernando pretende ser professor. Do IPA. Enquanto esse dia não chega, manda uma mensagem aos estudantes de hoje: “Aproveite a faculdade. Essa é a época de tu aprenderes, de tu fazeres contatos. É a época de tirar dúvidas. Aprenda tudo que tiver disponível, tudo que envolve a área de comunicação”. E conclui afirmando que as empresas não estão preparadas para uma pessoa dotada de apenas uma especialidade. “Quanto mais conhecimento tu tiveres, mais bem visto tu serás pelos olhos do mercado”, finaliza.

Postar comentário

0
  • Nenhum comentário encontrado

· · ·