· · ·

Congresso

Caxias do Sul sediou 37º Congresso Estadual de Jornalistas

37º Congresso em Caxias do Sul Foto Moisés MachadoFoto: Moisés Machado

Na semana em que completou 126 anos de história, Caxias do Sul recebeu o 37º Congresso Estadual dos Jornalistas do Rio Grande do Sul. Com o tema “Por que as redes sociais são importantes?”, o evento teve no centro do debate: internet, mídia alternativa e a ética na profissão. Participaram dezenas de profissionais e estudantes entre os dias 24 e 25 de junho.

Na noite de sexta-feira, 24, a mesa foi composta pelo jornalista Matheus Chaparini, que recentemente foi preso enquanto trabalhava, cobrindo a desocupação violenta realizada pela Brigada Militar da Secretaria da Fazenda do Estado, ocupada por um grupo de estudantes. Também integrou o painel, Letícia Bortoluzzi, professora de direito da Faculdade da Serra Gaúcha, que trouxe o ponto de vista jurídico sobre o caso. Mediando o debate, a jornalista Márcia Carvalho.

Com o apoio de imagens captadas durante a cobertura, Chaparini narrou sua participação no episódio e relatou a humilhação sofrida quando foi encaminhando ao Presídio Central, mesmo que tenha se identificado como jornalista. As imagens impressionaram pela truculência e despreparo por parte da Brigada Militar. Chaparini lembrou que o jornalista deve estar onde a pauta está e não ficar preso à versão oficial. “A pauta estava lá dentro. Em podendo entrar, entraria. Pude e entrei”, destacou o jornalista.

Os jornalistas ainda questionaram a posição do governo do Estado frente ao ocorrido, e assinaram uma nota de repúdio às declarações do governador José Ivo Sartori e do secretário de Segurança, Wantuir Jacini. “A versão oficial não bate com as imagens e com o que realmente aconteceu”, lembrou Chaparini.

A professora Bortoluzzi explanou debruçada sobre o Código de Ética do jornalista, a Constituição Federal e o Código Penal para analisar o ocorrido. A professora, que estudou previamente o caso, e analisou as imagens, afirmou que houve um cerceamento da atividade jornalística no episódio. Ela ainda destacou que a atuação realizada pelo Sindjors pode possibilitar a reversão do caso e a retirada das acusações contra o jornalista.

Frente aos vídeos do episódio e confrontado com o relato de Chaparini, o vereador de Caxias do Sul, Jaison Barbosa (PDT), presente no evento e aliado de Sartori, se comprometeu com os jornalistas presentes a propor uma moção de contradição na Câmara de Vereadores de Caxias. O Sindjors, apoiado pelos presentes, realizou uma outra moção, esta de repúdio à violência cometida pelo Estado na prisão do repórter Mateus Chaparini. O documento foi assinado por 58 pessoas presentes no evento e terá uma versão online a ser disponibilizada.

No sábado pela manhã, 25, Lúcio Uberdan, diretor da IntPolitics – microempresa com foco em inteligência política a partir da análise de dados da comunicação pública em ambiente online – trouxe para o debate a presença de novos canais de interação, com foco nas redes sociais, e seu impacto no dia a dia dos profissionais da comunicação.

Também ponderou como a mídia se coloca nesse cenário da instantaneidade da informação. Uberdan lembrou que a internet ultrapassou a TV em audiência e que cada vez mais está presente na rotina da população, destacando que atualmente o leitor não espera o jornal impresso para saber as notícias do dia. “Hoje uma criança quando nasce não tem dez segundos de vida e já tem uma foto no Facebook. Se isso atinge até a formação de uma família, imagina se não vai atingir a experiência profissional de vocês, jornalistas”, disse.

À tarde foi realizada a plenária de apresentação de teses e moções. As aprovadas serão apresentadas no 37º Congresso Nacional dos Jornalistas, que deve ocorrer entre de 25 a 28 de agosto, em Goiânia/GO. Os delegados Jeanice Dias Ramos, Jorge Correa, Márcia Carvalho e Márcia Martins, eleitos na plenária, e o presidente do Sindjors, Milton Simas Junior, representarão o Rio Grande do Sul no encontro.

Postar comentário

0
  • Nenhum comentário encontrado

· · ·