· · ·

Bate-papo

Fabiano Baldasso e sua paixão: ser um jornalista colorado

{youtube}

.be{/youtube}

Alunos dos cursos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Turismo e Administração participaram de um bate-papo com o jornalista multimídia Fabiano Baldasso. O momento, raro na agenda do convidado, foi proposto e organizado pelo coordenador do curso de Jornalismo, Prof. Dr. Fabio Ramos Berti. O encontro foi mais do que uma palestra, foi uma oportunidade para trocar ideias.

Baldasso contou um pouco de sua trajetória, com todos os movimentos arriscados que fez durante a carreira. O jornalista apontou três grandes momentos na sua trajetória profissional. O primeiro foi quando, depois de 13 anos, deixou a Rádio Gaúcha para abrir a Trato Comunicações, pioneira em assessoria esportiva. Depois de um tempo, vendeu sua parte da Trato e foi para a Band. Ao mesmo tempo percebia uma oportunidade em usar as redes sociais digitais (novidade na época) para exercer o papel que sempre buscou: um formador de opinião.

O último e mais recente desafio, foi declarar sua torcida e paixão pelo Internacional. “Eu queria me tornar um jornalista colorado. Ser um representante da torcida”, comenta. O convidado explica que todos esses movimentos são a aspiração pessoal para deixar um legado no jornalismo, por isso essa busca por inovações. “É essencial estar sempre atento a tudo que está acontecendo ao seu redor”, aponta.

Outro ponto abordado durante a fala de Baldasso foi a busca pelo formato atual de comunicação que vem exercendo. Mesmo sem abandonar a essência do jornalismo, ele sentiu que precisava se adequar à demanda do público jovem, caso quisesse ser relevante para eles, tanto quanto era com o público mais conservador dos veículos tradicionais. O jornalista fez uma reflexão sobre, hoje, as referências de comunicação e comunicadores estarem, em sua maioria, na internet, diferente de quando entrou na Rádio Gaúcha, em 1996.

No segundo momento da noite, foi aberto espaço para perguntas dos presentes. Os assuntos foram desde visões acadêmicas até panoramas gerais do jornalismo esportivo e geral da atualidade. O jornalista frisou mais de uma vez que sua busca é pela forma correta de comunicação. Ele lembra começou com análises pós-jogo de 10 minutos e percebeu que suas visualizações cresciam ao mesmo passo que a duração dos vídeos diminuía. Baldasso gosta de aliar e balancear o que o público quer ter com o que precisa saber, trazendo assim conteúdo de relevância.

“Achei que foi muito importante e esclarecedor trazer o Baldasso para conversar um pouco sobre a ideia de investir em algo novo. Foi exatamente o que ele fez. Entrou de cabeça nas redes sociais, interagiu e atraiu novos públicos para não só conhece-lo melhor, mas também para entenderem uma nova forma de opinar e dar informação”, comenta Márcio Nunes, aluno de Jornalismo. “Eu não estava interessada na palestra no começo, porque não gosto de esportes e jornalismo esportivo. Mas assistindo-o, pude tirar vários ensinamentos. O jeito como ele se inseriu e se engajou no jornalismo online me chamou muita atenção. Porque ele fez um estudo, aplicou isso e alcançou ótimos resultados. Isso é um diferencial hoje em dia”, aponta Bianca Bueno, aluna de Jornalismo.

Postar comentário

0
  • Nenhum comentário encontrado

· · ·