· · ·

Cultura

Logan: crítica SEM spoilers

Logan e LauraFotos: Divulgação

Na época em que lançaram o primeiro trailer de Logan, fiquei muito ansioso para que chegasse a hora em que poderia assistir ao filme. Conforme notícias e material de divulgação surgiam, ficava claro que, finalmente, teríamos um filme digno para um dos super-heróis mais adorados.

Entretanto, eu não conseguia tirar da cabeça a dúvida se Logan iria ser realmente um bom filme como os trailers indicavam ou que poderia ser apenas uma decepção, assim como foi com Esquadrão Suicida (2016).

Até que enfim pude assistir Logan, e assim, consegui a resposta para duas perguntas. Primeiro, se o filme entrega o merecido final para o Wolverine de Hugh Jackman? Segundo, essa é uma obra cinematográfica que poderá elevar a outro nível o modo de se fazer e enxergar os filmes de super-heróis? A resposta é sim para ambas perguntas.

Logan mistura de maneira equilibrada ação, drama, humor e sangue! As cenas de tensão e lutas são bem intercaladas com os diálogos e explorando da convivência entre os personagens. O filme foi produzido de modo coerente, havendo apenas uma ou outra cena desnecessária ou que se estendeu demais. Já os easter eggs são modestos e se encaixam bem no longa. O tom de humor em Logan é um grande trunfo, não sendo exagerado devido a necessidade de um filme mais sério e dramático. Mesmo assim, as piadas conseguem ser bem colocadas, chegando a pegar o espectador de surpresa e arrancando boas risadas.

Durante todo momento que Jackman (Logan) contracena, podemos perceber o seu esforço para que cada segundo que o protagonista apareça em tela seja memorável. Tentando aproximar ao máximo o Logan que conhecemos do cinema com o dos quadrinhos, com toda sua fúria, dor e garras. Aqui, o ator traz um Logan mais decadente do que em qualquer outro filme, sem esperança e que abusa constantemente do álcool. Sem dúvida essa foi a melhor atuação de Jackman como Wolverine.

 

trio

Apesar de ser o filme do Logan, esse é diferente das outras tramas de X-Men, pois os demais heróis não são deixados de lado, eles têm o seu devido espaço, sendo bem explorados, possuindo relevância e influência na aventura. Assim, Patrick Stewart (Charles Xavier) também se destaca como um Xavier um tanto diferente do que vimos no decorrer da franquia. Neste caso, o personagem oscila entre o homem que foi e quem é agora, ou seja, um homem debilitado não apenas por ter noventa anos, como também, por sofrer de Alzhaimer, ideia que foi bem aproveitada no enredo. Além disso, o personagem é mais impaciente e que fala palavrões, mas mantém a vontade de ajudar as pessoas.

 

Laura X 23

A atriz Dafne Keen (Laura Kinney/X-23) conquista o espectador com sua atuação, no qual apresenta uma menina arredia como um animal selvagem e mortal como a arma que foi projetada para ser. E lembra o espectador, que ela também é uma criança e age como tal. Laura não se comunica verbalmente, o que poderia ser um desafio para atriz, porém Keen consegue se sobressair no papel valorizando outros atributos como a expressão facial e a maneira que utiliza o seu olhar.

 

os carniceiros

Os vilões são um ponto fraco no filme. Os Carniceiros apenas representam uma ameaça devido ao número de soldados que possuem, mas nenhum é poderoso o bastante para encarar os heróis. No caso do ator Boyd Holbrook (Donald Pierce) quando é apresentado nos trailers, ele passa a sensação de que será um grande adversário do início ao fim. Já no filme, decepciona ao se mostrar tão inútil quanto os seus colegas. Ainda que o antagonista seja insatisfatório por um lado, Boyd consegue agradar ao atuar, dando um ar de crueldade e frieza a Pierce. E por fim, Richard E. Grant (Dr. Zander Rice), sua participação foi tão breve que não deu tempo para o vilão ser melhor apresentado.

Tá. E aí? O filme é violento?

Sim, é muito. Com certeza mais do que Deadpool (2016)! Há vezes que chega a ser agoniante (de um modo bom) de se assistir, com direito a mutilação e mortes por decapitação. Contudo, Logan não é o filme que tanto esperamos apenas por conter mais violência e sangue do que nos outros longas. Sua história e ambientação envolvem profundamente quem assiste, ao mesmo tempo que nos deixa curiosos com informações superficiais jogadas no ar. Tudo isso somado ao bom desenvolvimento que os personagens tiveram, podendo assim, gerar empatia e identificação com o espectador. Provavelmente, Logan é o melhor filme da franquia X-Men.

Postar comentário

0
  • Nenhum comentário encontrado

· · ·