·

·

· · ·

Cultura

Fragmentado: crítica SEM spoilers

fragmentado close editadoFoto: Divulgação

M. Night Shyamalan é um roteirista e diretor conhecido por memoráveis filmes como “O Sexto Sentido” (1999), “A Vila” (2004), “A Visita” (2015), entre outros. Alguns dos trabalhos de Shyamalan têm como característica um enredo cheio de mistérios e os famosos finais ao estilo Plot Twist, ou seja, uma reviravolta do enredo, podendo mudar até o sentido da obra.

shyamalan mcavoy
Foto: Divulgação

 

O homem por trás do filme...

O mais recente trabalho de Shyamalan, Fragmentado (2016), tem ganhado repercussão e demonstra ser o longa que vai ajudar o diretor a dar a volta por cima na carreira. Devido ao seu estilo Plot Twist em “O Sexto Sentido”, os estúdios e fãs queriam que cada filme tivesse um final mais surpreendente que o anterior, assim tornando previsível e desgastado o uso desse artifício. Além disso, ele tem estado em baixa depois das críticas ruins em alguns dos seus últimos trabalhos como O Último Mestre do Ar (2010) e Depois da Terra (2013).

fragmentado_caseyFoto: Divulgação

 

O filme...

Kevin (James McAvoy) é um homem que sequestra três adolescentes e as mantêm em cativeiro. A situação em que se encontram já provoca muito medo por si só e acaba por se tornar apavorante ao descobrir que o sequestrador possui vinte e três identidades em seu corpo e que a vigésima quarta, a Besta, está vindo para pegá-las.

Bom... quando terminei de assistir ao filme, me deparei com um grande conflito: eu preciso escrever sobre Fragmentado. Achei a tarefa bastante difícil pois falar sobre as identidades de Kevin, os demais personagens e tudo mais poderia prejudicar a experiência do espectador caso me aprofunde demais. Até porque, a maior diversão do filme é se colocar na mesma situação (visão) dos outros personagens, que tentam compreender o que está acontecendo, quem são as personalidades apresentadas e o que elas representam. Além disso é importante perceber como cada detalhe e pista da história, inclusive as que aparentam ser menos importantes, são relevantes e se conectam uma com as outras.

“Fragmentado” explora uma variedade de gêneros: suspense, terror, drama e até mesmo comédia – por incrível que pareça o humor do longa consegue fluir naturalmente entre os outros gêneros e ainda realça a tensão. O filme proporciona uma abordagem que se utiliza de um lado mais científico, mas que oscila, e leva o espectador ora para um clima mais espiritual ora mais fantasioso/macabro ao estilo irmãos Grimm.

 

fragmentado_conversaFoto: Divulgação

 

Múltiplas personalidades...

Por mais que a história seja envolvente e a ambientação cause suspense quase a todo momento – o que é ótimo –, a alma do filme depende da atuação de McAvoy, o que, sem dúvidas, ele exerce perfeitamente. O ator não apenas consegue caracterizar cada personagem de maneira distinta um do outro, tal como, gerar carisma do público por eles. O jogo de troca de identidades numa mesma cena – algo que já era esperado desde o trailer – ocorre organicamente, tanto pela competência de McAvoy, como pelo bom uso dos enquadramentos e da edição, criando expectativa e ansiedade para saber qual personalidade vai entrar no lugar da atual. É claro que “Fragmentado” possui muito mais assuntos a serem comentados, mas estou preso a ideia de não estragar o filme contando-os para vocês. Apenas posso dizer que, quando saí do cinema, a minha vontade foi de comprar outro ingresso e assistir de novo.

Postar comentário

0
  • Nenhum comentário encontrado

Rádio IPA ao vivo

· · ·