· · ·

Cultura

Guardiões da Galáxia Volume 2: crítica SEM spoilers

guardioes da galaxia

Guardiões da Galáxia Volume 2 (2017) traz uma nova aventura que explora as origens de Peter Quill/Starlord (Chris Pratt),  o vínculo entre personagens e a expansão do universo espacial cinematográfico da Marvel. O diretor e roteirista, James Gunn, não se controla e proporciona muitas surpresas: easter eggs, fan services e uma série de personagens novos à franquia.

A abertura do longa é fantástica, começando muito bem com explosões de cores, uma trilha sonora empolgante, uma ótima experiência já nos primeiro minutos, o que só aumenta a expectativa do público. Após os heróis serem apresentados, se inicia uma série de piadas, algo já presente na obra cinematográfica anterior, mas que parece um pouco ‘forçado’ aqui. Realmente, as piadas são inteligentes e fazem você rir, mas há momentos que elas parecem mais inteligentes do que engraçadas. E, também, são muitas, em curto espaço de tempo. O espectador mal terminou de entender uma piada e já vem outra, às vezes, não dando tempo de saboreá-las melhor.

drax vs monstro

Guardiões da Galáxia Vol. 2 começa bem, mas no decorrer do filme parece que a história demora a engrenar. Há uma espécie de hesitação, dando a impressão que falta segurança no roteiro e nos atores. Isso me preocupou, pois acreditei que o longa talvez não conseguisse atingir a mesma qualidade do que na primeira vez. Contudo, o enredo fica mais organizado e começa a fluir. Inclusive, as piadas ficam mais bem colocadas e numa quantidade menor, além de se criar um ar mais sério para a trama, o que não significa que tenha ficado ruim para um filme de comédia.

 

grupo

Para quem acompanhou os trailers e textos a respeito do filme, poderia ficar evidente que a história iria focar no drama de Peter Quill em encontrar o seu pai, Ego (Kurt Russel), pela primeira vez. Todavia, cada personagem possui seus conflitos pessoais, que precisam ser resolvidos para o amadurecimento dos mesmos. E esses problemas fazem com que cada herói converse, brigue e crie um elo com o outro, o que resulta em momentos que emocionam, sendo um deles o clímax do filme.

 

rocky e groot

O longa como um todo, possui muitos pontos fortes: é perceptível que houve muita dedicação na produção da parte visual, pois os cenários, roupas, personagens, plantas, naves, tudo foi muito bem detalhado. E os efeitos especiais apenas ajudam a realçar essa beleza e o clima psicodélico do filme. As cenas, tanto na terra como no espaço, são divertidas, e o 3D apenas faz com que a experiência seja melhor, ainda mais nas cenas de combate.  A trilha sonora... é maravilhosa. Cada música foi escolhida a dedo e se encaixa perfeitamente com o que é apresentado nas cenas...é sério... ficou perfeito! O filme encerra muito bem esse capítulo dos heróis e deixa uma porta aberta para que novos personagens sejam explorados em Guardiões da Galáxia 3 ou até mesmo em outras franquias.

Observação: Pessoal ! Geralmente há uma ou duas cenas pós-créditos. Em Guardiões, há cinco! O melhor de tudo é que elas passam quase um atrás da outra. Você não vai precisar ficar sofrendo assistindo os créditos. Na verdade, até os créditos estão bem divertidos e coloridos, diferente da tradicional tela preta e letras brancas.

Postar comentário

0
  • Acho que é um dos melhores filmes que vi. É um dos filmes mais divertidos que já vi, gostei muito como se desenvolve a história, o roteiro é muito divertido para pequenos e grandes, em todo momento nos fazem rir. Eu gostei muito a participação de Dave Bautista, ele é um ótimo ator, recém o vi em Blade Runner 2049, é excelente! Quero ver novamente e em: https://br.hbomax.tv/movie/TTL617387/Blade-Runner-2049 encontrei os horários em que a transmitirão, deixo o link por se querem ver-la. Eu gosto como interpreta o seu personagem, é um filme muito original. Acho que o diretor Denis Villeneuve fez um ótimo trabalho no filme, ele conseguiu fazer uma sequela impecável e manteve a mesma atmosfera. A fotografia é impecável e o elenco é incrível.

· · ·