· · ·

Beach Tennis

Beach tennis avança em Porto Alegre

TratadasFoto de Evelin Schneider

A popularização de uma modalidade esportiva precisa mais do que um megaevento para acontecer. Ao sediar pela primeira vez uma etapa do Campeonato Mundial de Beach Tennis (RS Cup) em outubro de 2016, ainda não era possível dimensionar o potencial desse esporte que nasceu a beira-mar na Itália há mais de 30 anos e começa a invadir a Capital. Primeiro foi a tradicional Praça da Encol, depois clubes recreativos e agora até escola pública.

A proposta de introduzir a modalidade nas aulas de educação física do Instituto de Educação General Flores da Cunha é do professor Roberto Foschiera. “Queremos diversificar a prática esportiva, acabando com o monopólio do futebol para meninos e voleibol para meninas”, informa. Suas aulas já desenvolveram práticas básicas de outras modalidades menos populares no Brasil, a exemplo do beisebol, rugby e slackline – praticante deve manter-se equilibrado e caminhar sobre uma fita suspensa.

 

Tratadas 4Foto de Evelin Schneider

Segundo o professor, a iniciativa é saudada pela maioria, embora ainda haja uma pequena resistência. “Ainda me questionam se poderão jogar futebol, o preferido dos meninos. Essa mudança é uma estrada longa”, destaca Foschiera, convicto da importância do aprendizado que a diversificação garantirá aos estudantes.

Aguardando a conclusão das reformas na escola, previstas para esse ano, as aulas ocorrem nas quadras do Centro Universitário Metodista – IPA. “Essa parceria é fundamental para atender semanalmente mais de 20 turmas do Instituto de Educação”, afirma. Na manhã de terça-feira (09/05), na companhia dos estagiários de educação física Richard Boff e Bettega Lopes, mais de 40 alunos e alunas tiveram o primeiro contato com o beach tennis. E todos aprovaram!

 

IPA e beach tennis

Os segredos dessa modalidade já foram desvendados por mais de cem alunos do IPA. Na RS Cup de 2016, estudantes dos cursos de Jornalismo, Publicidade e Propaganda, Turismo, Administração e Fisioterapia, com supervisão docente, foram voluntários durante os três dias de competição. E já se organizam para colocar novamente seu aprendizado em prática na próxima etapa do evento internacional, agendada para o período entre 18 a 22 de outubro em Porto Alegre. 

Postar comentário

0
  • Nenhum comentário encontrado

· · ·