· · ·

Cultura

Dez clássicos da literatura que amamos

livros capaFoto Andressa Souza

Sabe aquele momento em que um amigo pergunta o que você achou de ‘tal’ livro e você fica com vergonha de dizer que não leu? Seus problemas acabaram. Criamos uma lista de livros que consideramos clássicos.

Mas o que torna um livro um clássico? Clássico é aquele que serve de modelo de gênero, conforme um ideal. Com esta definição, a ideia é mostrar que nem todos têm os mesmos gostos e que você deve definir os seus clássicos conforme o seu ideal. Isto te permitirá consumir os livros que gosta.

 

Meus clássicos românticos

orgulho e preconceitoOrgulho e Preconceito (1813), de Jane Austen

A história mostra a maneira com que a personagem, Elizabeth Bennet, lida com os problemas relacionados à educação, cultura, moral e casamento na sociedade aristocrática do início do século XIX, na Inglaterra. Além de retratar o convívio conturbado com o personagem Fitzwilliam Darcy.

Por que é clássico? Orgulho e Preconceito vai além da fórmula ‘moça conhece moço, moça não gosta do moço, o tempo passa e o moço se mostra merecedor do afeto da moça e os dois declaram o amor um pelo o outro e final feliz.’ Para sua época, Jane Austen criou personagens femininas fortes, com pensamentos e opiniões independentes da influência da sociedade em que estavam inseridas. Ao mesmo tempo em que retratava os costumes padrões do século XIX, em tom irônico. Elizabeth Bennet é a representação mais primorosa deste perfil de heroína feminista. Com isso, a obra se torna atemporal, pois reforça a necessidade da mulher ser independente em suas opiniões.

 

romeu e julietaRomeu e Julieta (entre 1591 e 1595), de William Shakespeare

É um romance-tragédia escrito nos primórdios da carreira literária de William Shakespeare. O livro conta a história de dois adolescentes cuja morte acaba unindo suas famílias que vivem em pé de guerra.

Por que é clássico? É o percursor dos romances literários mesmo com uma linguagem um tanto formal. O livro permanece, até hoje, no imaginário de leitores como um exemplo de arquétipo do amor juvenil. Sua leitura é atemporal e obrigatória em vários cursos de literatura.

 

Meus clássicos da literatura brasileira

bras cubasMemórias Póstumas de Brás Cubas (1881), de Machado de Assis

Como o título diz, são as memórias de Brás Cubas contadas por ele mesmo após sua morte. Em seus relatos, evidencia assuntos da época, como escravidão e a diferença entre as classes sociais.

Por que é clássico? O livro se sobrepõe aos outros consagrados do autor, como Dom Casmurro, pois concretiza o estilo realista ao qual Machado de Assis se tornou famoso. Nesta obra, a verdadeira natureza humana é exposta de forma cômica. A frase mais marcante é "...amou-me durante quinze meses e onze contos de réis...", no qual Cubas se refere ao amor de Marcela, que na verdade era apenas por interesse.

 

onze minutosOnze Minutos (2003), de Paulo Coelho

O livro conta a história de uma menina brasileira que provou desde cedo o amargo da decepção amorosa e que fechou seu coração ao amor. Aliciada pela promessa de uma vida melhor, parte para a Europa em busca de uma nova vida.

Por que é clássico? Paulo Coelho consegue retratar de forma forte os anseios que provamos após grandes decepções e como o amor pode salvar em qualquer situação. Ele explora muito bem o lado do ser humano e sua busca por um desejo e como muitas vezes pode nos transformar.

 

Meus clássicos de terror e suspense

convite para um homicidioConvite para um Homicídio (1950), de Agatha Christie

A história se desenvolve a partir de um misterioso convite para um homicídio publicado no jornal Gazette. Os moradores da casa descrita no convite não entendem o anúncio. Muitos conhecidos aparecem na hora marcada achando se tratar de uma festa temática. O mistério é investigado pela detetive Miss Marple.

Por que é clássico? A autora Agatha Christie só escreveu clássicos. Muitos destes, mais famosos que Convite para um Homicídio. Por isso, pouco se sabe que ele é uma obra-prima. Então, o que o diferencia? É neste livro que a autora dá destaque às personagens femininas, com personalidades fortes sobressaltando os padrões da época da publicação, 1950. Isto fica evidenciado na personalidade da detetive Miss Marple. Mesmo sendo o quinto livro a retratar suas aventuras, ao compará-lo aos outros livros, a sua personalidade está mais definida.

 

negrinhosO Caso dos Dez Negrinhos (1939), de Agatha Christie

A história se passa em um ilha deserta, situada na costa de Devon. É narrada em terceira pessoa e descreve a vivência de dez pessoas que são convocadas por um estranho para a mansão na ilha. 

Por que é clássico? É o livro mais vendido da autora Agatha Christie, com mais de 100 milhões de cópias. Em O Caso dos Dez Negrinhos, praticamente tudo é um mistério. A forma como as pessoas vão parar na Ilha, o Poema, a personalidade dos personagens e a forma como as mortes são executadas. Sua história é atemporal, pois sai da fórmula de detetive desvendando o mistério e prendendo o vilão. O ritmo da leitura é rápido e seu final um dos mais espetaculares.

 

Meus clássicos de drama

jane eyreJane Eyre (1847), de Charlotte Brontë

A obra acompanha a vida da personagem Jane Eyre, uma órfã criada pela tia que a maltrata enquanto ainda é criança e que é enviada para um internato. Após atingir a maioridade e ser instruída a ser tutora de outras jovens, Jane passa a viver com uma família, onde o patrão é um homem infeliz e rude, por quem se apaixona.

Por que é clássico? Ao comparar a obra de Charlotte com a da irmã, Emily Brontë (O Morro dos Ventos Uivantes), sem dúvidas, sua história é mais leve. Mas não é a intensidade do drama que o faz um clássico. Jane Eyre é um clássico pelo amadurecimento da personagem ao desenrolar da história, que por consequência, eleva o drama, mas que não torna a obra melancólica. Com isso, o destaque é a moralidade da personagem inabalada mesmo após tantos sofrimentos.

 

as vantagens de ser invisivelA Vantagem de Ser Invisível (1999), de Stephen Chbosky

O livro narra a história de um garoto de 15 anos, chamado Charlie. O jovem entra em um colégio enquanto se recupera de uma depressão, por perder seu único amigo que se matou com um tiro na cabeça. No colégio, ele começa sua jornada de socialização, de crescimento e recuperação com a inadvertida ajuda de dois veteranos, Patrick e Sam, que o recebem em seu mundinho à parte dos populares da escola.

Por que é clássico? O autor conseguiu trazer à tona assuntos pertinentes à fase mais difícil da vida, a adolescência. No livro são mostrados, de forma aberta e sensível, assuntos como: depressão, suicídio, amizades, diferenças e abuso infantil.  Sua linguagem é simples e de fácil entendimento principalmente para os jovens que tendem a ter dificuldades em demostrar sentimentos.

 

Meus clássicos contemporâneo

a menina que roubava livrosA Menina que Roubava Livros (2005), de Mark Zusak

A história, narrada pela morte, acompanha a vida de Liesel Meminger durante a Segunda Guerra Mundial. A menina é obrigada a viver com uma família desconhecida, após sua mãe, comunista, fugir do nazismo. Neste processo, ela vê o irmão morrer ao mesmo tempo em que nasce sua relação com os livros.

Por que é clássico? O ponto de destaque do livro é a narração inovadora. A morte conta a história de forma leve e envolvente. Não se pode deixar de lado, também, o pano de fundo histórico que ambienta o livro, do qual o leitor possui conhecimentos prévios. Isto eleva o sentido dramático da obra e dá uma empatia maior pela história central. Mesmo que esta seja ficção. Mas, fora isto, há os assuntos levantados ao desenrolar da história, como as perdas durante o conflito e a constante superação. Portanto, a mensagem da obra é a relação da personagem com os livros, que se torna seu subterfúgio para superar o caos gerado pelo conflito ao seu redor.

 

o cacador de pipasO Caçador de Pipas (2003), de Khaled Hosseini

O Caçador de Pipas conta a história de Amir, um garoto rico de Cabul, que é atormentado pela culpa de ter traído seu criado e melhor amigo, Hassan, filho de Ali, também empregado do seu pai. A história tem como cenário uma série de acontecimentos políticos tumultuosos, que começa com a queda da monarquia do Afeganistão em Julho de 1973.

Por que é clássico? Khaled Hosseini mostra em seu livro como os sentimentos podem corroer uma vida toda e o passado. E, esses mesmos sentimentos podem salvar e transformar o futuro. A história mostra o lado humano posto à prova em dificuldades que podem modificar tudo que você sempre acreditou.

Gosto da nossa lista? Ou quem sabe se interessou por algum livro?

Faça a sua lista e compartilhe conosco.

Postar comentário

0
  • Nenhum comentário encontrado

· · ·