·

·

· · ·

Publicidade e Propaganda

Airton Rocha: experiência e vitalidade para vencer desafios

airtonppFoto de Silvana Maier

No dia dos avós, o Multiverso conversou com um dos vovôs mais ativos e inquietos no mercado da comunicação: o publicitário Airton Rocha. Ex-presidente da Associação Riograndense de Propaganda e da Associação Brasileira de Publicidade, é o atual presidente da Associação Latino Americana de Publicidade.

Administrador e contabilista, foi na área da propaganda que encontrou sua vocação. É o diretor-presidente da agência de publicidade Martins + Andrade que atua no mercado gaúcho desde 1971, sendo a agência mais antiga atuando no mercado gaúcho.

Aos 75 anos de idade, Airton tem quatro netos, sendo que a quinta neta deve chegar em dezembro deste ano. Ele que é muito ativo, faz caminhadas, joga tênis, mas depois de um problema de deslocamento da retina precisou suspender algumas atividades, inclusive deixou de dirigir por um tempo. “Foi o momento em que eu pensei que estava velho. Será que acabou tudo pra mim? De uma hora pra outra, tive que parar de fazer algumas atividades que eu tanto gostava”, comentou. Ele lembra que na sua infância um “homem de 60 anos estava esperando a morte chegar”.

Prestes a completar 50 anos de carreira, em novembro, o publicitário destacou que antigamente havia muito preconceito com os “cabelos brancos na propaganda”. Isso fez com que existissem muitos profissionais acreditando que os jovens eram a salvação da publicidade. Na época, o mercado internacional mostrava exatamente ao contrário, pois “as grandes agências americanas tinham os melhores profissionais de publicidade, todos de cabelos brancos”, salienta.

Quanto ao cenário atual da propaganda, Airton reconhece que está havendo um retorno e um respeito maior com o pessoal que possui mais experiência. Pondera que o mercado começou a perceber que as experiências passadas são importantes e fazem diferença. “Hoje no mercado publicitário gaúcho tem muito vovô. Há uns 20 anos atrás o publicitário tinha prazo de validade. Ele chegava numa determinada idade e era afastado, acabava por ser excluído. Hoje, não”. Ele observa que o mercado dá guarida para esse profissional, não somente os donos de agências, mas os profissionais de criação, atendimento e mídia.

Ele conta que a idade trouxe algumas mudanças na sua rotina e ressalta que hoje se tornou uma pessoa mais seletiva, principalmente com relação a eventos à noite. “Só vou naqueles eventos que são importantes para mim, minha empresa e meu negócio”. A experiência fez com que ele desse mais qualidade ao tempo. “Vale a pena eu perder duas horas da minha vida para ir nesse evento, vai somar alguma coisa para mim, para a minha profissão ou para o meu cliente?”, avalia ele.

Sobre o segredo para se manter tanto tempo no mercado, Airton destaca que devido à volatilidade da atividade que exerce, uma empresa se solidifica no mercado com duas principais premissas: competência e relacionamento. “Se tu fores só competente, em algum momento pode acontecer um problema e só a competência não segura. O gaúcho é muito frio nesses momentos, não aceita muito erro. Uma agência, para sobreviver, precisa de competência e se relacionar bem com o cliente, ser parceira, entender o cliente e confiar. Isso é relacionamento, confiança entre as duas partes. Em mim, ele pode confiar. Os clientes confiam em mim”.

Airton finaliza com entusiasmo que seu trabalho é a comunicação. “A comunicação está em todas as plataformas e todas as formas de contato com meu consumidor. É uma simples mensagem de aniversário que eu envio para o meu cliente. No nosso negócio, a grande vantagem é que as coisas não tem forma pronta, não está na prateleira. Somos nós que criamos!”, ressalta ele.

Postar comentário

0
  • Nenhum comentário encontrado

Rádio IPA ao vivo

· · ·