· · ·

Expointer, Jornalismo

Expointer: todo estudante de jornalismo deveria conhecer

redacao expointerFoto: Giulian Cavalli

Quando se entrevista alguém pela primeira vez, bate aquele friozinho na barriga, mas, com o tempo, a confiança aumenta e o nervosismo diminui. Contudo, essa sensação pode retornar ao se cobrir um grande evento. Recentemente, durante 40ª Edição da Expointer, o Multiverso conversou com jornalistas experientes na área do agronegócio. Eles deixaram várias dicas quem deseja acompanhar grandes eventos.

Foco

Em feiras como a Expointer, há infinitas possibilidades de pautas sobre os mais diversos assuntos. Mas, por onde começar? Segundo o editor do ‘Portal do Produtor’, Paulo André Dutra, é importante focar no conteúdo que se quer cobrir, ainda mais se a equipe for enxuta. “É impossível cobrir tudo que há na feira, então, priorizarmos por falar sobre o que os produtores da nossa cidade (Alegrete) têm feito aqui”, conta.

leonardo souzaFoto: Giulian Cavalli

Conhecer a Expointer

O assessor de imprensa do Governo do Estado, Leonardo Souza, acredita que os estudantes devem sair a campo e desbravarem a Expointer buscando pautas. “As pessoas não sabem realmente o que acontece aqui, acham que apenas há alguns animais e nenhum outro atrativo”, disse. Ele explica que tinha essa mentalidade até cobrir a Expointer. “A feira é uma escola. Em Porto Alegre, você precisaria sair para ruas para cobrir alguns acontecimentos, tudo ocorre aqui, é como uma cidade”, completa.

Estar preparado

A estagiária, Franciele Schimmelfennig, do canal ‘Poa TV’, conta que está aprendendo muito na sua primeira cobertura da feira. Ela aconselha que os estudantes busquem se informar para ficarem preparados para as entrevistas. “Você precisa conhecer o assunto para saber argumentar bem com as pessoas durante a entrevista. Também é necessário ser simpático, comunicativo e humilde”, afirma. Ela salienta que tendo essas características para lidar com as pessoas, o trabalho se torna mais fácil e, a partir disso, novas oportunidades vão surgir.

jornalista em entrevistaFoto: Giulian Cavalli

Gostar do que se faz

A repórter, Simone Rubim, da revista ‘Cabra e Ovelha’ ressalta que a Expointer pode ser uma extensão da faculdade para estudantes e jornalistas. Observa que é fundamental que se goste da rotina da feira. “Você precisa gostar de animais, agricultura, agronegócio e de pisar na lama. E tem que estar preparado para tudo, porque aqui pode fazer sol, chuva ou ventar”. Ela recomenda que mesmo se alguém não gostar disso, deve ter boa vontade para descobrir o que se pode fazer aqui.

jornalista expointerFoto: Giulian Cavalli

Diferencial

Em meio a tantos veículos de comunicação cobrindo a Expointer, é essencial haver um diferencial na notícia para não ser apenas mais um profissional fornecendo a mesma informação. O jornalista e radialista, Edemar Nogueira dos Passos, da rádio ‘Voz da Querência’, cobre o evento há mais de trinta anos e, mesmo assim, busca aperfeiçoar o seu trabalho a cada ano. “Estamos colhendo dados do que aprendemos na 40ª edição para que na 41ª não façamos os mesmos erros. Vamos transformar essa experiência negativa em positiva”, comenta.

Simone Rubim, por sua vez, entende que a melhor maneira de se destacar é saber que tipo de matéria o público quer consumir. “Querem um conteúdo mais didático, mais formal ou coloquial? Sabendo isso, você produz o mais próximo do que ele deseja e assim fideliza o leitor, ouvinte, espectador”. Ela acrescenta que isso só é possível se houver trabalho em equipe, com companheirismo e ajuda mútua. “Todo mundo quer fazer o seu melhor e ser reconhecido, mas não é passando por cima dos outros que se vai conseguir isso. O respeito pelo outro é importante, esse é o diferencial”, conclui.

Postar comentário

0
  • Nenhum comentário encontrado

· · ·