·

·

· · ·

Geral

Novos usuários e forte crescimento: a nova era do Twitter

capa materia twiiterFoto: Divulgação

Mais forte do que nunca! Esse é o atual momento da rede social Twitter. A plataforma comunicou o balanço referente ao primeiro trimestre de 2018. Para surpresa de todos, está tendo um resultado inesperado. A última vez que a rede obteve lucro no primeiro trimestre foi em 2014. Indicadores mostram que a empresa vai continuar em alta e encerre o ano de forma positiva.

Através de um comunicado, o Twitter divulgou que alcançou cerca de 6 milhões de usuários ativos, em uma comparação com o trimestre anterior. Nas palavras da PhD em Comunicação e Informação, Gabriela Zago, “muitas pessoas decidiram sair do Facebook em função da questão da privacidade. Com isso, é natural que procurem outra rede social para se comunicar, e o Twitter é uma opção já consolidada”.

Na área das finanças, o crescimento foi retomado no último trimestre de 2017, registrando 91 milhões de dólares. Agora, no primeiro trimestre de 2018, o registro foi de 61 milhões de dólares, o que é considerado um bom resultado pela própria empresa. Os números são impulsionados pelo crescimento nas receitas publicitárias e um aumento pouco expressivo de novos usuários. 

Lucro líquido trimestral do Twitter:

dados materia twiiterFoto: Divulgação

O CEO do Twitter, Jack Dorsey relata que as mudanças feitas recentemente, como por exemplo a modificação para o dobro de caracteres possíveis em uma publicação, ajudaram a aumentar o engajamento dos usuários, que estão permanecendo mais tempo conectados à rede social. Contudo, as ações do Twitter caíram cerca de 5% no final de abril em virtude de um anúncio publicado pela própria empresa. Em nota, publicaram que o crescimento da receita vai desacelerar neste ano e os custos irão aumentar devido o combate à disseminação de discursos de ódio e alegações de manipulações eleitorais.

Para um futuro próximo, a projeção de crescimento do Twitter pode ser considerada alta, uma vez que 2018 é marcado por importantes eventos, como a Copa do Mundo e as eleições no Brasil. Na visão de Gabriela Zago, “o Twitter será mais uma ferramenta para compartilhamento de informações políticas e para campanha eleitoral”. Entretanto, ela ressalva que “teremos uma forte influência dos bots em volume de replicações - o que pode acabar mostrando uma imagem de consenso, de que várias pessoas estão defendendo um determinado ponto de vista, quando na verdade são postagens automáticas reforçando uma determinada visão política”.

Saiba mais sobre o assunto:

http://www.b9.com.br/90037/twitter-is-back-plataforma-volta-a-crescer-e-ter-novos-usuarios/

https://exame.abril.com.br/mercados/acoes-do-twitter-caem-por-perspectiva-de-crescimento-mais-lento/

Postar comentário

0
  • Nenhum comentário encontrado

· · ·