· · ·

Mulheres Maravilha

Uma mulher à frente de um batalhão

Nadia 1Foto: Arquivo Pessoal

O Multiverso traz hoje mais uma entrevista com mulheres que fazem a diferença em suas áreas de atuação. Conheça a Comandante Nádia Rodrigues Silveira Gerhard, primeira mulher a comandar um batalhão da Brigada Militar. Eleita vereadora de Porto Alegre em 2016, ela tem se dedicado às ações voltadas à segurança pública, em especial, à defesa dos direitos da mulher.

 

Multiverso: Por que escolheu ser brigadiana?

Comandante Nádia: Cresci em um ambiente militar. Brinco que desde pequena, eu já aproveitava do rancho da Brigada Militar, local onde os soldados, sargentos e oficiais faziam suas refeições. De certa forma, fui compelida pela convivência familiar e círculo de amizades a escolher este tipo de profissão. Desenvolvi o sentimento de muito orgulho por esses homens e mulheres que prestam a segurança, que colocam em risco a sua vida em prol de outras pessoas que nem conhecem. Também por ser uma profissão que tem como base o relacionamento com o ser humano. Não é uma profissão exata, é uma profissão na qual há vários olhares e verdades, demanda muita mediação e conversa para que se possa organizar e dar soluções a conflitos existentes. É uma carreira muito bonita que poucas mulheres conhecem, que nos permite galgar postos dentro de uma hierarquia.

 

Multiverso: Quais as dificuldades enfrentadas pelo fato de ser uma mulher em uma profissão considerada masculina?

Comandante Nádia: Em princípio nenhuma, pois a carreira militar preconiza dois grandes suportes: disciplina e hierarquia. Então, independentemente de sermos mulheres ou homens, devemos seguir os padrões estabelecidos. Devemos nos colocar em locais de destaque não por sermos mulheres, e sim, pela nossa competência e qualificação.

 

Multiverso: Alguma restrição em função do gênero?

Comandante Nádia: Não as tive.

 

Multiverso: Como foi ser a primeira comandante do sexo feminino na Brigada Militar?

Comandante Nádia: Foi uma honra muito grande após todos estes anos de história ser escolhida como a pioneira no comando. Foi motivo de orgulho, mas também momento de conhecer toda a responsabilidade que eu teria a partir de então. Precisei dar o meu melhor, pois se houvesse falhas, outras mulheres poderiam perder a sua chance. Responsabilidade enorme! Uma quebra de paradigmas para a Brigada Militar, pois ela entendeu a necessidade de se atualizar diante do mundo globalizado. Com determinação, resiliência, foco e atitude as mulheres podem estar em qualquer lugar que desejarem.

 

Multiverso: No ano de 2007, como Major, foste a primeira mulher a assumir o comando do 40º BPM, sediado em Estrela, sendo a responsável por onze municípios no Vale do Taquari. E, em 2012, já como Tenente Coronel, foste comandante por três anos o 19º BPM, atuando na Zona Leste da Capital. A luta pelos direitos da mulher sempre foi uma prioridade?

Comandante Nádia: Sempre foi. No 40º BPM, eu criei a operação Família em Paz após observar que a violência doméstica era algo muito relevante nos municípios menores. Neste programa, os brigadianos iam à casa das mulheres com medida protetiva de urgência fazendo com que elas se sentissem assistidas e protegidas no intuito de que pudessem viver sem medo de que o agressor voltasse a agir contra elas e seus filhos. No 19º BPM, instituí a Patrulha Maria da Penha que age após a ocorrência e congrega toda rede de atendimento e enfrentamento da violência contra a mulher, como a Polícia Civil, Judiciário, Ministério Público e Defensoria Pública, com assistência de equipe treinada para prestar auxílio especializado e individual. A Patrulha preencheu a lacuna que existia entre a medida protetiva e o fiel cumprimento da determinação judicial de afastamento por parte do agressor. As nossas visitas davam o recado de que a violência contra a mulher é crime: não cumpriu? Irá preso! No primeiro ano, conseguimos resultados maravilhosos, dentre eles: nenhuma das acolhidas veio a óbito, não precisaram registrar nova ocorrência e puderam se encaminhar e voltar a ser protagonistas de suas vidas! Palestrei no Brasil e exterior por conta da Patrulha Maria da Penha, fomentando a reprodução do projeto em diversas policias militares. Inclusive recebi um prêmio em Washington, nos Estados Unidos.

 

Multiverso: Qual o recado que você gostaria de deixar para as mulheres?

Comandante Nádia: Tenham sempre foco naquilo que desejam, atitude, perseverança. Estejam certas de que a partir da qualificação, especialização e muito trabalho é que poderemos chegar a locais de destaque, que poderemos estar em pé de igualdade com os homens. É preciso trabalho, estudo e muita perseverança!

 

Para saber mais sobre o trabalho da Comandante Nádia, acesse aqui. http://www.camarapoa.rs.gov.br/vereadores/comandante-nadia

Postar comentário

0
  • Nenhum comentário encontrado

· · ·