· · ·

Ping Prof Pong

Nancy Vianna: "Qual a tua linguagem? Ela te coloca em contato com o outro?"

ping prof pong 01

A entrevistada do Ping Prof Pong desta semana é a Mestre em Comunicação Social, Nancy Vianna. À frente da Agência Experimental de Publicidade e Propaganda, junto ao Multiverso, a docente é formada no curso de Publicidade e Propaganda do IPA e desenvolve pesquisas nas áreas do marketing de experiência, branding, comportamento do consumidor e empreendedorismo em Comunicação. Dona de um sorriso inconfundível e sempre disposta a ajudar, participa de ações voluntárias junto à Igreja Metodista no Rio Grande do Sul.

Com vocês a Profa. Nancy!

fileFoto: Carola Luz

Multiverso:  Como surgiu o teu interesse pela Publicidade e Propaganda?

Nancy: A minha família é um laboratório de vendas, quando criança, as férias na casa da ‘abuela’ (sim, sou uruguaia, para quem não sabe) eram regadas a vender o que ela produzia. Amava auxiliá-la a vender queijo, hortaliças e os bolos maravilhosos de um aroma inesquecível. E ela me ensinou a negociar apresentando e defendendo a qualidade dos seus produtos.

Minha mãe tem a veia criativa, do nada ela fazia muito, seja por necessidade financeira ou pelo prazer de produzir novas receitas ou criações estilistas. Sempre gostei de criar os meus brinquedos, as roupas das minhas bonecas (de papel, por ser econômico e poder usar os dois lados com modelitos diferentes) e novas brincadeiras. Até hoje a filha, os/as sobrinhos/as e afilhados/as me conhecem pela energia para criar brincadeiras e agitar.

Então, a Publicidade faz parte da minha caminhada. Sempre soube da facilidade em expressar-me e tentei usar isso ao meu favor procurando aperfeiçoamento junto ao Jornalismo. Porém, naquele ano a turma não fechou e me convidaram para uma degustação da Publicidade e Propaganda. Foi depois da primeira aula de Introdução à Publicidade e Propaganda que entendi a minha atração pelos comerciais de TV e pela constante paixão em criar. O livro do Toscani e suas campanhas irreverentes me instigaram a vivenciar a publicidade, estimular a criatividade e agir com curiosidade, tornando-me uma publicitária em constante transformação.

 

Multiverso: Há quem defina as áreas do marketing, da publicidade e da propaganda como sendo a mesma coisa. Mas, sabemos que isso não é verdade. Cada área tem as suas características e funções. É importante o consumidor e os clientes fazerem estas distinções?

Nancy: Infelizmente é muito comum a confusão, inclusive no mercado de trabalho, que reforça tal falha ao divulgar suas vagas e selecionar profissionais com formações distintas. O curso de Publicidade e Propaganda do IPA possui a ênfase em Markerting. Dessa forma, capacitamos profissionais com conhecimentos para distinguir e agir conforme a necessidade apresentada pelo cliente.

Porém, divulgar uma vaga de Marketing e solicitar conhecimentos em softwares de criação está errado. Nesse caso, necessita de um publicitário voltado para a criação. São abordagens diferentes. Esclarecendo de forma simples e prática (sendo bem breve), o Marketing contempla ações estratégicas para colocar um produto no mercado, estabelecer o preço, divulgar e tornar acessível ao consumidor. Por sua vez, a Publicidade visa tornar conhecidas empresas, produtos e serviços, por meio de nomes, cores, grafismos, ícones, significados, narrativas... E a Propaganda apresenta um caráter mais ideológico, com o intuito de propagar ideias, opiniões, como por exemplo, propaganda eleitoral, religiosa, ou ainda, institucionais, como doação de sangue.

Fiz esta breve e sucinta explicação com o intuito de tornar mais factível essa informação. Pois, é importante que as empresas reconheçam qual o profissional adequado para sua necessidade, divulgando a vaga correta, bem como, o cliente que contrata o serviço do profissional. E, é claro, que nós como profissionais da área devemos saber descrever nossas qualificações e defender a importância desse conhecimento.

 

Multiverso: A área da Publicidade e Propaganda está em constante movimento. Nos últimos anos, este movimento está cada vez mais acelerado. Na tua perspectiva, o que é mais urgente para que se possa atender às necessidades dos clientes e os desejos dos consumidores?

Nancy: Realmente, a efervescência da área condiz com as mudanças que vivenciamos. Sempre em disrupção, em transformação, buscando reinventar-se, essa é nossa profissão. Ela nasceu para explicar, argumentar de forma criativa, mostrar melhores opções, atingir o emocional, envolver, nas mais variadas plataformas. O mais urgente é se manter atualizado, criativo, sensível, empático e com posicionamento ético, para usufruir eficazmente das ferramentas adequadas, e assim, alcançar o coração e a mente do consumidor, sem conduzi-lo ao erro.

 

Multiverso: O cenário e o mercado de trabalho em Comunicação se apresentam cada vez mais competitivos, ao passo que disponibiliza recursos tecnológicos ao alcance de todos. Neste contexto complexo e desafiador, qual deve ser o perfil do publicitário do futuro?

Nancy: O profissional do hoje e do amanhã deve ser qualificado, formado em uma instituição de ensino que insere a teoria, propiciando experiências em espaços de vivência profissional sob supervisão docente, atualizada, que promova ações de cidadania, inserção social e seja inclusiva. O Curso de PP do IPA é assim e entendo que está no caminho certo, os estudantes são agentes participativos no processo de aprendizagem. As vivências reais aproximam o mercado de trabalho, possibilitando experimentar, errar, acertar e medir os resultados. A tecnologia é uma ferramenta que auxilia o potencial criativo, pode ser usada na resolução de problemas. Porém, não adianta conhecer a ferramenta, o software, a linguagem, e não ter a ‘ideia’, a estratégia e a aplicação adequada desta, que apresentará uma solução eficaz em comunicação.

 

Multiverso: Qual é o teu recado para os estudantes da Escola de Comunicação e Hospitalidade?

Nancy: Permitam-se a vivência com as mais variadas áreas, aproveitem essa imersão dos Cursos de PP, Jornal e Turismo, para conhecerem a respeito do outro e experimentarem as especificidades de cada profissão, bem como as contribuições que podem agregar valor profissional. Como referiu Platão, “A parte que ignoramos é muito maior que tudo quanto sabemos”. Está aí a importância do networking, da imersão em novas práticas, afinal é tempo de novas construções para segmentos que ainda não foram contemplados. E encerro com minha inspiração no campo do conhecimento, Roland Barthes: “A linguagem é como uma pele: com ela eu entro em contato com os outros”. Qual a tua linguagem? Ela te coloca em contato com o outro? E que experiência advém dessa conexão?

Postar comentário

0

· · ·