· · ·

Welcome Home discute a crise da democracia liberal, a partir da visão de Manuel Castells

A imagem pode conter: 32 pessoas, pessoas sorrindo, pessoas sentadas, pessoas em pé e área internaFoto: Alessandro Davila

Uma entrevista com Manuel Castells e um bate-papo sobre tecnologia, democracia e a ocupação dos espaços públicos. Essa foi a proposta do Welcome Home, evento que abre oficialmente o semestre dos cursos de Comunicação e de Turismo do IPA.

O sociólogo Manuel Castells é um dos maiores pensadores contemporâneos, referência na área da Comunicação. Em julho, ele esteve no Brasil e concedeu uma entrevista à Profa. Dra. Sandra Bitencourt. A partir da exibição do material, os convidados Pedro Loss, cofundador do projeto Serenata Iluminada e Guilherme Fraga, fundador e CEO do aplicativo POA na Rua, discutiram sobre a importância da tecnologia no apoderamento dos espaços públicos. O debate foi mediado pela Profa. Me. Fernanda Costa, docente do curso de Turismo, e pela professora Sandra, representando os cursos de Jornalismo e de Publicidade e Propaganda.

No vídeo apresentado, Castells fala sobre os dados que resultaram no livro Ruptura – A crise da democracia liberal. O sociólogo aborda questões como a falta de credibilidade dos representantes perante à população, à crise política e democrática, à crítica aos sistemas tradicionais. O pensador também pondera sobre a manipulação nas redes sociais e o papel dessa mídia no cenário político. Castells ainda avalia o espaço da comunicação nesse cenário de ruptura. Para ele, existe uma “auto comunicação de massa”, já que a internet permite que as pessoas busquem e consumam a informação de acordo com seus interesses. “É um conceito que propus há alguns anos, pois se difunde massivamente, porque todo mundo pode acessar, muito mais que os meios tradicionais de comunicação. Todo mundo pode entrar na internet, informar-se do que quiser, expressar o que quiser. Não há monopólio da expressão da opinião”, salienta. A entrevista com o pensador está disponível no Multiverso. 

Para complementar a fala de Castells, a Profa. Sandra apresentou uma reflexão, explicando que as mídias sociais “tem poder de fala, mas não tem poder de escuta”. Segundo ela, “a liberdade irrestrita, muitas vezes se volta contra os próprios valores democráticos”. Sandra também reiterou a importância dos veículos tradicionais como forma de acesso à informação e origem de grande parte do conteúdo que circula nas redes. “Os meios de comunicação tradicionais de referência tem um papel autenticador muito importante, inclusive de autenticar a verdade factual”, afirma.

A imagem pode conter: 1 pessoaFoto: Alessandro Davila

A tecnologia como ferramenta para ocupar a cidade

Um dos temas debatidos no evento foi a maneira como os espaços públicos estão sendo ocupados. A Profa. Ms. Fernanda Costa relacionou a questão da descrença nos governos, citada por Castells, com a maneira que as pessoas percebem a cidade. Para ela, é importante entender “como os espaços públicos fundamentais do turismo são comunicados”. A turismóloga acredita que o papel das mídias, principalmente as alternativas, é essencial nesse sentido. Fernanda ressalta que é preciso pensar no modo que se enxerga a cidade e procurar outros meios de se informar, para se apropriar de projetos e atividades voltados à revitalização de espaços e que, nem sempre, aparecem em veículos tradicionais.

O projeto Serenata Iluminada, criado em 2012, é um exemplo de iniciativa que cresceu pela mobilização nas redes sociais, como o Facebook. Pedro Loss, um dos criadores do evento, explica que a ideia era reunir pessoas na Redenção, à noite, para alertar sobre o descaso com o parque. “A proposta era encontrar com os amigos e, ao mesmo tempo, chamar a atenção do poder municipal com a pouca iluminação e segurança do local”. As edições do Serenata Iluminada reúnem pessoas de diversas idades e preenchem um dos locais mais tradicionais de Porto Alegre.

A imagem pode conter: 1 pessoa, em péFoto: Alessandro Davila

Outra iniciativa que alia a tecnologia com a tomada de espaços públicos é o aplicativo POA na Rua. O projeto surgiu da falta de informações acessíveis sobre as atrações turísticas e culturais da capital. O CEO Guilherme Fraga conta que o app é uma forma prática de comunicar as pessoas sobre o que acontece na cidade. “Levar as informações de modo fácil e rápido, de maneira democrática, sem custo. A meta é incentivar o turismo dentro da cidade e mostrar novas opções de lazer e de qualidade de vida”, complementa. Segundo Fraga, Porto Alegre tem mais de 300 eventos de rua por semana, como shows, festas e feiras, e todos podem ser acessados pelo aplicativo.     

A imagem pode conter: 1 pessoa, barba, terno e área internaFoto: Alessandro Davila      

Prêmio ARI de Jornalismo

O Welcome Home também contou com a presença do Vice-Presidente da Associação Riograndense de Imprensa (ARI), Ciro Machado, do Coordenador do Prêmio ARI, Paulo Eduardo Barbosa, e do jornalista André Machado. Além de prestigiarem o evento, eles explicaram sobre a premiação e convidaram os acadêmicos a se inscreverem no Prêmio, que possui uma categoria para estudantes. Para mais informações sobre o Prêmio ARI, acesse aqui.

Postar comentário

0
  • Nenhum comentário encontrado

· · ·